Encontro do Dark Energy Science Collaboration (DESC) conta com a participação de membros do BPG-LSST

23 de março de 2021 | LIneA

Na primeira semana de Fevereiro, tivemos o primeiro encontro de 2021 do Dark Energy Science Collaboration (DESC), que contou, em sua organização, com um membro do Brazilian Participation Group (BPG), Tassia Ferreira. O evento teve participação de, aproximadamente, 300 pesquisadores, e, como tem sido costume desde o começo da pandemia do covid-19, foi em um formato totalmente virtual. O encontro ocorreu entre os dias 1 – 5 de Fevereiro e teve duração de 5 horas diárias, com intervalos entre cada sessão.

blank
Imagem 1: Logo do evento DESC

As plenárias contaram com diversas apresentações relevantes, destacando o progresso na construção do telescópio no Chile, além dos avanços operacionais, técnicos e científicos da colaboração. As notícias do grupo responsável por representar o comitê de diversidade do DESC frente ao projeto de inclusão, igualdade e diversidade da Sociedade Americana de Física (APS-IDEA) foram apresentadas por Tassia Ferreira (membro do BPG). Houve também a oportunidade de ouvir sobre o projeto de análise dos dados do Dark Energy Spectroscopic Instrument (DESI), na apresentação do convidado Dr. Dustin Lang.

Outro tópico abordado foi a eleição para o novo porta-voz do DESC; houve apresentações e um espaço para perguntas e conversas com a candidata Katrin Heitmann (Argonne National Lab), e o candidato Michael Wood-Vasey (University of Pittsburgh). As eleições foram encerradas no dia 2 de Março, com Katrin sendo eleita como nova porta-voz.

As sessões paralelas tiveram destaques de alguns pipeline scientists, membros do BPG. Na sessão de Photo-Z, Julia Gschwend apresentou os recentes avanços no desenvolvimento da biblioteca RAIL.evaluation, que será utilizada na validação dos redshifts fotométricos utilizados nos estudos sobre a energia escura. Já na sessão sobre matrizes de covariância, Felipe Andrade-Oliveira coordenou a discussão sobre as estimativas de erros e correlações em grandes levantamentos fotométricos. Nesta sessão, também foi apresentada a primeira versão do código de covariâncias a ser usado pelo LSST-DESC, o chamado TJPCov. Sandro Vitenti apresentou as possíveis escolhas de design que estão sendo debatidas para a implementação do Firecrown como uma biblioteca para implementação de likelihoods.

O LIneA e o INCT do e-Universo tem como missão apoiar a participação de pesquisadores associados a instituições brasileiras em grandes levantamentos astronômicos como o Dark Energy Survey ( DES), Sloan Digital Sky Survey ( SDSS), Dark Energy Spectroscopic Instrument ( DESI), e o Legacy Survey of Space and Time ( LSST).

O LIneA é um instituto de ciência e tecnologia privado cuja missão é viabilizar a participação de pesquisadores e estudantes em colaborações internacionais; apoiar centros emergentes, fornecer acesso a acervos de dados astronômicos e a uma infraestrutura de processamento intensivo de dados, e desenvolver soluções para problemas de big data nas áreas de astronomia e cosmologia. Atualmente as atividades do LIneA são apoiadas pela FINEP e pelo INCT do e-Universo.

Deixe um comentário