Grupo de pesquisa brasileiro inicia atividades no LSST

24 de maio de 2017 | LIneA

O Large Synoptic Survey Telescope (LSST) é um projeto revolucionário que a partir de 2021 vai mudar nossa maneira de ver o Universo. O LSST vai fazer imagens de mais da metade do céu a partir de um telescópio de 8.4m de diâmetro localizado no Chile. As imagens serão feitas em 6 bandas fotométricas, do ultravioleta ao infravermelho próximo, com cadência de alguns dias para cada apontamento no céu, o que vai permitir produzir um filme em alta definição do céu durante os 10 anos de observação. Os principais objetivos científicos do LSST são:

  • Entender as misteriosas Matéria Escura e Energia Escura.
  • Identificar asteroides perigosos para a Terra e estudar as profundezas do Sistema Solar.
  • Observar o céu transiente, identificando estrelas variáveis e supernovas.
  • Estudar a formação e caracterizar a estrutura da Via-Láctea.

Participar desse projeto significa estar atuando na fronteira do conhecimento, tanto em astrofísica, como em ciência de dados. O Grupo de Participação Brasileira (Brazilian Participation Group, BPG) no LSST foi selecionado por um Comitê de Seleção através de uma chamada feita à comunidade pelo Laboratório Interinstitucional de e-Astronomia (LIneA) e o Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), promotores da criação do grupo. O trabalho da comissão resultou na escolha de 5 pesquisadores seniores e mais 18, a eles associados.

Na quarta-feira, 17/5/2017, foi realizada sua reunião inaugural, onde o coordenador do LIneA, Luiz Nicolaci da Costa, apresentou as diretrizes básicas de funcionamento do grupo, os seus objetivos, as ferramentas à disposição, bem como a filosofia de atuação. O BPG-LSST tem duração prevista de 5 anos e dentre os seus principais desafios, estão os de levantar e estimular o interesse da comunidade científica brasileira pelo LSST, manter a comunidade a par da evolução do projeto e contribuir para a construção de um Centro de Dados nacional para armazenar dados e códigos de análise de interesse da comunidade, com o apoio do LIneA e supervisão de uma Comissão de Acompanhamento.

Devido à natureza geograficamente descentralizada do grupo, a reunião inaugural foi realizada com recurso de trabalho colaborativo à distância, através de ambiente virtual de comunicação e apresentação de trabalhos por computador. Assim vêm sendo levadas a cabo as colaborações de outros grupos científicos organizados e apoiados pelo LIneA. A figura abaixo mostra uma tomada instantânea de um dos slides da apresentação sobre o projeto.

blank
Figura 1

Deixe um comentário